DÚVIDAS

PRINCIPAIS DÚVIDAS

1. Quando precisamos de ajuda?

Quando um casal tem relações sexuais por 1 ano sem a utilização de nenhum método contraceptivo e não alcança a gravidez, deve procurar ajuda de uma clínica especializada em reprodução humana.

2. Podemos ter filhos?

O médico pede ao casal todos os exames necessários para se chegar a um diagnóstico (geralmente em duas consultas): na mulher: exames de sangue, USG transvaginal e vídeo-histeroscopia; no homem: espermograma. Na consulta de retorno o médico avalia a viabilidade do casal ter filhos.

3. Ela vai ter óvulos?

Através de exames específicos (FSH, LH e Estradiol) o médico avalia a reserva folicular da paciente. Existem outros exames também, como o hormônio antimulleriano.

4. Ele vai ter espermatozóide?

O marido faz um espermograma onde são avaliados parâmetros seminais como quantidade, motilidade e vitalidade dos espermatozóides, além de avaliações mais específicas como capacitação espermática e fragmentação do DNA do espermatozóide.

5. Existe um programa de doação de sêmen?

Através do banco de sêmen o casal tem a possibilidade de comprar sêmen de doador.

6. Meu marido não estará no Rio quando eu fizer a FIV, posso congelar o sêmen?

O sêmen (homólogo, ou seja, do próprio marido) pode ser congelado previamente. O paciente deve combinar com o “setor de atendimento ao médico” o dia da coleta e assinar o termo de consentimento.

7. Existe um programa de doação de óvulos?

O programa de doação de óvulos foi criado para ajudar as pacientes que precisam receber óvulos. Uma paciente (doadora) toma a medicação e doa metade dos óvulos maduros para a outra paciente (receptora). Cada metade dos óvulos será inseminada com o sêmen do respectivo marido. A doação no Brasil é anônima e não tem interesse lucrativo.

8. Um parente ou conhecido pode ser doador de espermatozóides ou óvulos?

Não. No Brasil a doação de gametas tem de ser anônima.

9. Quanto tempo demora o tratamento?

Cerca de 2 meses.

10. Posso pintar o cabelo?

Durante a estimulação dos ovários com uso de hormônios específicos, fica suspenso a pintura e/ou tratamento de cabelos, a esclerose de varizes, o tratamento dentário, o uso de ácidos faciais, a prática de esportes e de ginástica.

11. Podemos transferir quantos embriões?

O Conselho Federal de Medicina autoriza a transferência de até 4 embriões (dependendo da idade da mulher). O casal assina um consentimento que consta o número de embriões a serem transferidos.

12. Qual a possibilidade de termos mais de 1 bebê?

Pacientes submetidas à FIV possuem chance aumentada de gestação múltipla em comparação com a população em geral, pois são geralmente transferidos para o útero mais de 1 embrião.

>
13. Podemos escolher gêmeos ou trigêmeos?

De acordo com a resolução do Conselho Federal de Medicina podem ser transferidos até 2 embriões quando a paciente tiver até 35 anos; até 3 embriões, se a paciente tiver entre 36 a 39 anos; e até 4 embriões, para pacientes com 40 anos ou mais. Sendo respeitados os limites impostos na resolução, o número de embriões a serem transferidos é uma escolha do casal. O casal assina um termo de consentimento no dia da transferência embrionária onde consta o número de embriões transferidos.

14. O que fazemos com os embriões que não foram transferidos?

O Conselho Federal de Medicina refere a obrigatoriedade de congelamento dos embriões excedentes desde que sejam viáveis.

15. Nosso bebê vai nascer prematuro?

Os bebês nascidos de FIV têm o mesmo tempo de gestação que aqueles da população em geral (entre 38 a 40 semanas). Existe uma maior possibilidade de prematuridade nas gestações múltiplas.

16. Nossos bebês são idênticos?

As gestações múltiplas em reprodução assistida, habitualmente não estão associadas a bebês idênticos, pois foram transferidos embriões diferentes simultaneamente, que geraram desta forma os bebês. A menos que o embrião se divida e gere fetos semelhantes a casuística é muito pequena.

17. Podemos escolher menino ou meninas?

O Conselho Federal de Medicina (CFM) não autoriza a sexagem (escolha de sexo). Respeitamos na íntegra todas as Resoluções do CFM.

18. O tratamento engorda?

As pacientes ganham peso por retenção de líquido pelo uso dos hormônios.

19. Quando o meu marido terá realmente que vir à clínica?

Somente no dia da aspiração dos óvulos para a coleta do sêmen.

20. Como será a anestesia?

Apesar de ser chamada de anestesia geral, a anestesia é administrada por via venosa e a paciente dorme em torno de 15 minutos. É uma leve sedação.

21. Meu marido pode estar comigo na aspiração?

Não. No momento em que está ocorrendo a aspiração dos óvulos o marido está colhendo o sêmen. O marido só poderá estar com a paciente no momento da transferência dos embriões.

22. Nosso bebê vai ser normal?

Estudos revelam que os bebês nascidos de procedimentos de FIV têm a mesma chance de apresentarem anormalidades que os bebês nascidos na população em geral.

23. Posso ter relações sexuais durante o tratamento?

Sim. A abstinência sexual será indicada a critério da Dra. Cristiane em alguns momentos do tratamento.

24. Posso fazer exercícios durante o tratamento?

Não. Pois os ovários estão estimulados e os exercícios podem aumentar o desconforto da paciente.

25. Podemos tomar bebida alcóolica?

Socialmente, com moderação.

26. Posso fumar durante o tratamento?

Não aconselhável.

27. Qual o valor da medicação?

A intensidade da medicação depende da resposta de cada organismo que será ajustada pelo seu médico na época da estimulação ovariana. Consequentemente a estas doses, você terá um valor.

28. O tratamento demora?

A avaliação dura em média 1 mês e após os resultados dos exames solicitados pelo seu médico, leva aproximadamente 2 meses, ou seja, o tratamento em si leva 3 meses em média, desde a 1 consulta.

29. O plano de saúde cobre o tratamento?

Só a avaliação inicial.

30. Por que fazer uso da pílula antes do tratamento laboratorial?

Para fazer um repouso ovariano prévio à estimulação e para sincronizar o ciclo menstrual (a paciente sangra só quando for conveniente ao tratamento).

31. O teste do catéter dói? Para que serve?

Normalmente não. Serve para sabermos o trajeto do canal do colo do útero e para sabermos a profundidade do útero. Ou seja, serve para sabermos o local certo de deposição dos embriões.

32. Qual a diferença entre inseminação artificial (IA) e fertilização in vitro (FIV)?

Nos dois tratamentos existe a necessidade de estimulação ovariana e monitorização do crescimento folicular pela USG transvaginal. Na IA, quando os folículos atingem um diâmetro satisfatório (compatível com maturidade ovariana) administramos uma medicação injetável (HCG) para ela ovular. Em 36 h depois desta injeção introduzimos o sêmen capacitado (preparado) para o interior do útero, que foi colhido por masturbação para ele fazer a parte dele (fertilizar os óvulos). Na FIV, quando os óvulos estão maduros, procedemos a aspiração dos óvulos por USG transvaginal (sedada) antes dela ovular e um espermatozóide é injetado dentro de cada óvulo (ICSI). Em três dias transferimos os embriões para o interior do útero em número de até quatro (quem decide é o casal) de acordo com a resolução do CFM. A indicação do tipo de tratamento depende de seu médico.

33. Por que o espermograma só pode ser feito no Projeto Vida ou local indicado?

Porque desse modo podemos garantir a qualidade da análise da amostra, visto que o sêmen será analisado por embriologista que fará os testes simulando o dia do procedimento do casal.

34. A Clínica faz o congelamento de óvulos, sêmen e embriões?

Sim

35. As medicações são administradas por via muscular ou subcutânea?

Depende da medicação que será uma orientação de seu médico na época da estimulação ovariana, mas a preferência é pela via subcutânea.

36. Podemos saber se o bebê terá alguma má formação antes de sua transferência para o útero?

Sim, através de uma técnica chamada PGS onde se faz uma biópsia do embrião e posterior estudo genético destas células do embrião.

Visitas dos pacientes! Veja algumas famílias que foram formadas por aqui:

Vanessa e Ricardo

Danielle e Bruno

Aline e Allan

Girlane

Isadora e Amanda

Hosana e Rodrigo

Claudia e Edimnar

Suzana e Alexandre

Daniele e Francisco

Lucelia e Maycon

Elisangela e Pablo

Daniele e Francisco

FALE CONOSCO





ONDE ESTAMOS

Duque de Caxias
R. Major Frazão, 153 Sls 503 e 504 –25 de agosto–Duque de Caxias -RJ
(Ao lado do Shopping Unigranrio)

Barra da Tijuca (Barra Life Medical Center)
Av. Armando Lombardi, 1000Bloco 1 Sl. 218–Barra da Tijuca –Rio de Janeiro -RJ
(Ao lado do IBMEC. Ficamos na frente do Metrô do Jardim Oceânico)

Central de Marcações
(21) 2671-5333 | 2653-1621